Poema – SEMPRE

Na voracidade feito tempo

multiplico necessidades.

Não deixo a imagem perdurar.

Substituo feitos anteriores:

o produto recondicionado

transcende ao mito desprotegido.

A fome permanece como sempre.

(Pedro Du Bois, inédito)

http://pedrodubois.blogspot.com

Anúncios

1 Comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s