Poema

ALVOS

almejo a vida: alvejo

a caça

descanso sob a árvore

a ser derrubada

no ar a sensação

da perda

apedrejo a vidraça

e em cacos

reflito

ao dia: vida

condensada

em alvos

inatingíveis.

(Pedro Du Bois, inédito)

http://pedrodubois.blogspot.com

Anúncios

1 Comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s