Poema

HORIZONTES

Na fórmula encerra o contexto.

Nenhum número impensado à palavra.

Nenhum verbo disparado à ação.

Nenhuma palavra armada em números.

O lugar comum permite ao cientista

avançar a busca: o inalcançável

se faz longe em horizontes.

(Os horizontes se repetem).

(Pedro Du Bois, inédito)

HORIZONS

The formula keeps the context.

No number is unidvised to the Word.

No verb is fired to action.

No word is armed in numbers.

The common place lets the cientist

progress the search: the unachievable

is made far away in horizons.

(The horizons reapet itselves).

(Marina Du Bois, versão)

outros poemas:
http://pedrodubois.blogspot.com.br

Anúncios

1 Comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s