Poema: IR EMBORA | GO AWAY

IR EMBORA

(Pedro Du Bois, inédito)

Ao ir embora sabe:

não se mudam

as regras

inexistentes

(o peso da paixão

o peso do caixão

a prisão)

sobrevoa o lugar aberto

em barulhos e na rua

percebe vultos escondidos

regras intercaladas

na jogada aérea

sobre a área

(o piso frio recebe corpos

amantes: a entrega vai embora

aos poucos).

outros poemas

GO AWAY

(Marina Du Bois, English version)

When going away knows:

there is no change

in nonexistent

rules

(the coffin weight

the coffin weight

the prison)

flies over the open place

in noises and on the street

realizes hidden figures

interspersed rules

in the air move

over the area

(the cold tile gets

lovers bodies: delivery goes away

gradually).

Anúncios

1 Comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s