Perigos e Consequências na Manipulação da Informação

Diz Jornal Edição 164
Leia Agora

 

Lamentável
É mais que provável que o governo do Estado do Rio de Janeiro tenha apresentado o seu “Plano de Recuperação Financeira” superdimensionado. Não que a situação não seja grave. É claro que é muito grave, mas, para a apresentação é preciso uma margem de gordura para negociar, principalmente com o servidor, que foi fatiado sem permissão ou qualquer responsabilidade pelo atual quadro de insolvência que se encontra o Estado. Eles quando falam em retirar do servidor recursos de trinta por cento, está pensando em quinze, vinte… E mesmo assim continua difícil para qualquer um. A situação é muito difícil de administrar e vai ser preciso um grande pacto para sair deste imbróglio.
O protesto é legítimo. As categorias que compareceram para engrossar o movimento na porta da ALERJ, estão no seu direito. O que não está certo e se constituiu num grande erro, foi depredar as instalações da Assembleia Legislativa. Quebrar o gabinete da vice-presidência, rasgar documentos e fazer da mesa do plenário uma palanque, foi fora da ordem e da civilidade.

Uma Surpresa Esperada
O mundo inteiro ainda está se perguntando a razão da vitória eleitoral de Donald Trump, com todas as características de alguém desequilibrado e fanfarão. O que estamos enfrentando é a ”certeza formatada” que cada um de nós supõe saber sobre tudo, baseado num modelo atual, que a maioria se auto promove a condição de sábio eclético. É um fenômeno que vem da “Era Google”, que se observarmos bem a internet tem a capacidade de uniformizar o pensamento. É algo tão forte que quando alguém discorda, imediatamente é combatido por uma espécie de exercito de patrulheiros intelectuais, “politicamente corretos”. A dificuldade de ouvir é muito maior que a necessidade de afirmar, ainda que equivocadamente.

A Nova Inglaterra
No caso dos Estados Unidos, não houve crescimento explícito da esquerda, mas, o governo Obama modificou outras questões fundamentais no convívio interno, especialmente enfrentando a resistência do modelo americano clássico. Os negros tiveram mais oportunidades, assim com os latinos, asiáticos, ou qualquer outro “povo estranho”, – dentro dos preceitos da civilização dos “Quaker”.
Obama fez um governo voltado para estas comunidades e desagradou ao americano convencional. Existem nos 50 Estados da América, – considerando a imensa extensão territorial, – muitas diferenças, além das regras e leis de cada Estado que diferem e estabelecem comportamentos personalíssimos.
Uma boa parte desses americanos é fiel à ideia constitucional que dá o direito de possuir e portar armas de fogo. A tendência dos Democratas era limitar esta prática, que está arraigada na cultura americana. Boa parte desses americanos são adeptos a protecionismos e rejeitam imigrantes, embora os “serviços menores” sejam feitos, na grande maioria, por estes estrangeiros.

Mística e Similaridade
Rapidamente apareceram os divulgadores de “milagres”, relacionando a eleição de Trump a um desenho dos Simpsons de 1998, onde ele aparece como candidato à presidência dos Estados Unidos. Não houve premonição, visto que Trump havia, na época, manifestado este desejo; e os roteiristas dos Simpsons usaram o fato para ironizá-lo, desqualificando a possibilidade.
O que aconteceu foi uma cristalização do pensamento: um desejo que se realizou. Na época ele era apenas um milionário excêntrico que participava de Reality Shows e nunca teve freios na língua. Trump sempre disse o que quis e como quis.
Desejos em fortes pensamentos se realizam. Acho conveniente pararem com esta “corrente de pensamento” que Trump vai acabar com o mundo. Bobagem… Ele é como boi: sabe onde arrombar a cerca. A partir de agora ele passa a ser mais que um homem. Passa ser uma instituição, cercado de poderes e poderosos. Ninguém comanda a maior nação do mundo sozinho. Existem interesses muito maiores que a simples vontade de um excêntrico. Lá, ele estará vigiado 24 horas, e apesar de ter uma maleta com os códigos que podem disparar o arsenal nuclear, não vai sair por aí dando ataque de fúria e apertando botões. Tudo isso está muito longe de ser um vídeo game

Advertisements

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s