Poema

PRISÕES

olhos na visão dos carros

enfileirados na rua estreita

parados no sinal vermelho

que transportam

que levam e retornam

a visão aterroriza pessoas

encarceradas em vidros

de trancadas portas

faróis miram a presa

o sinal antecede

o vermelho do corpo

olhos no destino

conhecido em repetições

do sinal aberto no corpo

que escapa de raspão

(Pedro Du Bois, inédito)

outros poemas:

https://plus.google.com/u/0/108438516741639533660

Anúncios

1 Comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s