O ESTADO HONRA SE QUER SER HONRADO – PRESIDENTE DA REPÚBLICA DA ALEMANHA PADRINHO DE HONRA DE 2.711 CRIANÇAS

António Justo

Na Alemanha é tradição os presidentes da República apadrinharem crianças de famílias numerosas a partir do sétimo filho. O Presidente cessante Joachim Gauck tornou-se padrinho de honra de 2.711 crianças, durante o seu mandato. Trata-se de um apadrinhamento honorário tradicional que não implica automaticamente uma ajuda direta à criança ou à família.

A ajuda pode consistir na mediação entre os organismos competentes e a família numerosa. O Presidente assina um documento de apadrinhamento da criança, que é enviado à família, tal como acontece com os casais que celebram o 60° aniversário de casados.

Uma das últimas acções no cargo do Presidente foi o assumir o apadrinhamento de uma criança de dez meses de idade, de Fuldatal. Neste caso o presidente da Câmara de Fuldatal entregou o documento assinado pelo presidente e entregou 500€ para apoio de despesas no jardim infantil.

Os eventos são referidos na imprensa local. Deste modo a sociedade alemã presta homenagem aos eventos, à família e às crianças. Em tais circunstâncias a imprensa aproveita para referir problemas específicos, por exemplo: o problema da habitação, alojamentos e outras necessidades de famílias numerosas.

A relação Estado-cidadão não se extingue no contribuinte-votante

Como se vê e noutros casos parecidos, o Estado alemão está a atento mesmo ao pormenor e interessado em manter o elo de ligação familiar entre a instituição Estado e o povo. Veja-se neste sentido também: “Os Municípios alemães empenham-se no Cultivo da Cidadania” http://antonio-justo.eu/?p=2317

A Alemanha revela, a nível institucional, uma responsabilidade e empenho que constitui exemplo para outros países.

Deixa-se orientar por valores fundamentais e costumes tradicionais que lhe conferem humanismo e consistência. Outros países, perderam certas tradições, por um lado, por inconsciência e por outro, por se terem aninhado nas suas estruturas estatais, forças ideológicas sem consciência do que é um Estado orgânico. Mais que um organismo funcional, é um organismo vivo, com funcionários pessoais. com instituições orgânicas e tradições, inseridas no povo que lhe dão personalidade natural e mítica.

A Alemanha, com a exceção da época nazista, sempre se orientou por vistas largas, realismo e acção que a coloca na vanguarda dos povos. Consegue fazer uma união eficiente da consciência individual com a consciência social e da razão com o coração.

O Estado honra, se quer ser honrado!

António da Cunha Duarte Justo

In Pegadas do Espírito no Tempo http://antonio-justo.eu/?p=4196

FEDERAÇÃO TURCA SOB INVESTIGAÇÃO DE ESPIONAGEM NA ALEMANHA

O Ministério Público alemão investiga a Federação das Associações Turcas na Alemanha (Ditib) por razões de espionagem efectuada por chefes religiosos de várias mesquitas. Como relata a imprensa alemã, Ditib confirmou que Imame enviaram informações para o governo do déspota Erdogan sobre apoiantes do Pregador Gülen, rival de Erdogan a viver nos EUA, e que o governo de Ankara considera inimigo público.

Na Alemanha, 60% dos votantes turcos apoiaram Erdogan que pretende instalar o fascismo na Turquia. Ditib, que apresenta um rosto democrático para o exterior, é, na realidade, uma organização nacionalista. A Federação tem uma palavra a dizer no ensino religioso nas escolas de alguns estados alemães. O Ministério do culto turco de Ancara envia anualmente para a Alemanha 600 imames para as mesquitas. Esta é a melhor estratégia turca (aliada ao Gueto) para o impedimento da integração dos turcos na Alemanha e uma maneira de manter a lealdade política aos partidos da Turquia.

A tática turca (muçulmana) na Alemanha sempre se revelou muito inteligente e profícua no seu sentido. De facto, através das mesquitas controla o cidadão simples e com a conexão de interesses políticos através dos Conselhos de Estrangeiros nas comunas consegue uma boa rampa de lançamento para o seu pessoal politicamente mais consciente; muito dele serve-se do Conselho de Estrangeiros para apoiar financeiramente mesquitas através de associações de utilidade pública e para entrar também nas estruturas dos partidos alemães, especialmente Verdes, SPD e Die Linke e para gratuitamente estabelecer contactos e estratégias. Esta estratégia pude observá-la já nos anos 80 quando era porta-voz de um Conselho de Estrangeiros.

António da Cunha Duarte Justo

Pegadas do Tempo4056

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s