Glifosato: Assine agora ou nunca (ou espere pelo menos 10 anos)

PARA ASSINAR CLIQUE http://stopogm.net/iniciativa-europeia-contra-herbicida-glifosato

A Comissão Europeia deu indicações há menos de um mês de que pretende autorizar o herbicida glifosato por mais dez anos. O glifosato (mais conhecido por Roundup, ou Spasor) é o herbicida mais vendido no mundo e em Portugal, para além de uma enorme fonte de lucro para a Monsanto e outras empresas.

Embora a Organização Mundial de Saúde afirme desde 2015 que o glifosato causa cancro em animais de laboratório, a ECHA e a EFSA (autoridades europeias da química e da segurança alimentar) deram luz verde à sua reaprovação. Esses pareceres só foram possíveis porque se basearam em estudos secretos realizados pela própria indústria (!) e em artigos científicos públicos, aparentemente independentes, em que os autores tinham sido discretamente contratados pela Monsanto para chegar à conclusão de que o glifosato era totalmente inócuo. A existência destas ligações perigosas só em 2017 começou a vir a público, graças a numerosas ações judiciais em curso nos Estados Unicos ondedocumentos confidenciais foram tornados públicos por ordem do tribunal.

Neste momento já estão em curso diversas medidas oficiais para restringir o glifosato: a Bélgica pretende proibir o uso por não profissionais, a França já proibiu a aplicação de glifosato em espaços públicos e até em Portugal foram tomadas algumas medidas para proteger zonas urbanas mais sensíveis.

A contaminação do ambiente e dos alimentos – e portanto das próprias pessoas – pelo glifosato é bem conhecida. No caso português, num pequeno conjunto de análises realizadas a voluntários, verificou-se que 100% das pessoas apresentava glifosato na urina e que a concentração média dessa contaminação estava cerca de vinte vezes acima dos valores alemães.

Neste momento já não basta restringir o glifosato: é preciso proibi-lo. Há evidências suficientes para justificar medidas que efetivamente protejam a saúde de todos. E o que não se sabe – por exemplo se o glifosato causa ou não desregulação hormonal nas pessoas – também justifica essas medidas. A Comissão Europeia não tem legitimidade para reautorizar um herbicida sem primeiro ter sequer definido o método que irá avaliar se essa desregulação hormonal existe… e no entanto é exatamente isso que se avizinha.

Os cidadãos portugueses e europeus não podem, sozinhos, proibir o glifosato, mas podem contribuir para que isso aconteça. Está em curso uma Iniciativa de Cidadania Europeia que obriga formalmente a Comissão Europeia a propor legislação que ponha fim ao glifosato na União. Para a Iniciativa ser válida tem de reunir pelo menos um milhão de assinaturas (neste momento já há mais de 700 mil) e atingir um mínimo de adesões em pelo menos 7 dos 28 Estados Membros.

Portugal precisa de um mínimo de 16 mil assinaturas… e ainda faltam 12 mil. Embora a recolha possa decorrer legalmente até ao final de 2017, na prática ela tem de terminar em meados de junho, visto que nessa altura a Comissão deverá tomar a sua decisão final. O tempo urge!

Por favor assine aqui para juntar a sua voz ao protesto. Vale a pena! Também pode colaborar divulgando este email e partilhando o apelo nas redes sociais. Se preferir, pode descarregar oformulário de adesão em papel (também em anexo) e, depois de preenchido, enviar para a morada indicada no mesmo.

Para questões adicionais contacte a Plataforma Transgénicos Fora: EMAIL

E NÃO SE ESQUEÇA DE ASSINAR: http://stopogm.net/iniciativa-europeia-contra-herbicida-glifosato

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s