Poema

CONCRETO

(Pedro Du Bois, inédito)

Onde desperto

concreta base

inutiliza a vista

do que avisto

paredes

vidros

janelas

concretada paisagem

em altos prédios

onde escondemos

os corpos

fosse ruim a terra bruta

conservada no frescor

do tempo em contato

concretizados

nos recolhemos

em janelas fechadas.

CONCRETE

(Pedro Du Bois, unpublished)

(Marina Du Bois, English version)

Where I wake up

a concrete base

disables the view

of my sight

walls

glasses

windows

concreted landscape

in high buildings

where we hide

the bodies

as if it was bad a gross land

preserved in the freshness

of the time in contact

concretized

we gather

in closed windows.

outros poemas, em:
https://plus.google.com/u/0/108438516741639533660
http://pedrodubois.blogspot.com.br/

Anúncios

1 Comment

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s