FRANCISCO JOSÉ VIEGAS – SONETO DO PRINCÍPIO DO INVERNO

Pelo contrário, o medo cresce com a idade.

Os sinais acumulam-se um a um como

uma catástrofe aguardada. Coisas domésticas:

aos teus, escondes o medo, a previsão da morte —

 

mas ouves a seta a trespassar-te. Há um retrato

dos bisavós na memória: ela, com os fios de ouro;

ele, cego, com a medalha de herói na guerra

em La Lys. Ainda assim, a seta trespassa-te.

 

E ouves os passos no corredor, rondando, vigiando.

Pensas na ordem das coisas, ou em deixar alguns

recados sobre as tarefas para o dia seguinte; mas

 

é a ti que ouves, a caneta no papel, gatos que

não adormecem, fantasmas numa parede branca,

a imperfeição que amaste, um lugar escuro.

Ler em: GAZETA DE POESIA INÉDITA https://ift.tt/2NKTxHj

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s