RICARDO GIL SOEIRO – TRATADO DAS CONFIDÊNCIAS (EXCERTO)

 

 

Aposto no devir, assim medito. Foi sempre tudo muito claro. Penso por acaso, sonho por decreto. Escrever, eu escrevo. Mas só às vezes, quando, absorto, me adio e a magia por fim se oferece. Vencido cedo e então eu escrevo. Ergo-me, um tanto obscuro, da folha solta onde me volto a encontrar, mortal e verdadeiro.

Ler em: GAZETA DE POESIA INÉDITA https://ift.tt/2IKBKOo

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s