Videoteca apresenta 5.º ciclo de visionamentos comentados, Topografias Imaginárias: A ci dade como estúdio

image_viewer.php?p=TWVkaWFJRD04NHx8fHxVc2VySUQ9NQ%3D%3D

TOPOGRAFIAS IMAGINÁRIAS: A CIDADE COMO ESTÚDIO

Saber mais sobre a iniciativa e aceder ao programa

Decorre até ao próximo sábado, dia 8 de dezembro,  na Videoteca Municipal de Lisboa (Largo do Calvário, Alcântara), o 5.º Ciclo de visionamentos comentados "Topografias Imaginárias", dedicado ao tema "A cidade como estúdio".

Numa inicitiva promovida pelo Arquivo Municipal de Lisboa – Videoteca em parceria com o IFILNOVA/FCSH – no âmbito do projecto Fragmentação e Reconfiguração: a experiência da cidade entre arte e filosofia, foram programadas quatro sessões de visionamento comentado, cujo objetivo é explorar os modos pelos quais o cinema reformula a cidade de Lisboa.

Nalguns dos filmes programados a ideia de estúdio é literal: Lisboa é recriada dentro de um estúdio, americano por exemplo, como em Storm over Lisbon (5 dezembro, 15h); noutros filmes esta ideia é menos literal, mas todos permitirão descobrir as operações que, num filme, são levadas a cabo para que o espaço real seja um espaço que cabe (na representação). Esta exploração levantará questões de cinema, mas também vai levantar perguntas sobre a cidade: que têm estas operações fílmicas (de arrumação, limpeza, hierarquização) com as ações levadas a cabo no espaço urbano de Lisboa e que consequências têm estas nos modos da sua habitação?

Cada sessão começa, às 15h, com o visionamento comentado dos filmes em que participarão, entre outros, Irene Flunser Pimentel (historiadora), Tiago Baptista (diretor do Arquivo Nacional das Imagens em Movimento), Joana Braga ou António Brito Guterres (investigadores muito ativos na reflexão sobre a cidade de Lisboa), João Sousa Cardoso (encenador e cineasta), Ricardo Gross (escritor, ator).

Este programa de Topografias Imaginárias fecha o ciclo até aqui dedicado ao encontro do cinema com a arquitetura e antecede e prepara (antiteticamente) o ciclo a iniciar na próxima edição, com um programa que sairá para a rua ao encontro dos espaços reais, auscultados a partir da sua sonoridade.

5 DEZEMBRO

STORM OVER LISBON, George Sherman, 1944, 86’

Comentado por: Eliana Sousa Santos; Luís Mendonça; Mariana Liz

6 DEZEMBRO

A CANÇÃO DE LISBOA, Cottinelli Telmo, 1933, 90’

LISBOA DE HOJE E AMANHÃ, António Lopes Ribeiro, 1948, 40’

Comentado por: Tiago Baptista; António Brito Guterres

7 DEZEMBRO

BRANDOS COSTUMES, Alberto Seixas Santos, 1975, 75’

Comentado por: Irene Flunser Pimentel; Joana Braga

8 DEZEMBRO

O BOBO, José Álvaro de Morais, 1987, 127’

Comentado por: João Sousa Cardoso; Ricardo Gross; Susana Ventura

Local: Arquivo Municipal de Lisboa | Videoteca
Largo do Calvário, No 2 | 1300-113 Lisboa * telefone:+351 218 170 433

Organização: Arquivo Municipal de Lisboa | Videoteca

Parceria com: IFILNOVA/FCSH – no âmbito do projecto Fragmentação e Reconfiguração: a experiência da cidade entre arte e filosofia (PTDC/FER-FIL/32042/2017)

+ info: http://arquivomunicipal.cm-lisboa.pt/pt/eventos/topografias-imaginarias/a-cidade-como-estudio/

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s