DIVANIZE CARBONIERI – CASAS

 

 

e quantos coqueiros nos nossos quintais

contaram na excruciante via-crúcis

por tantas casas descascadas de cor

que ocupamos pobres como sempre fomos

perdemos a tapera de nascença onde

crescemos por entre famélicas pedras

mais o pai e a mãe que se foram cortantes

carpindo as hastes de sonhos impossíveis

foram arrancados de nós até os quartos

comprimidos dentro dos arranha-céus

de faina e fome que aos poucos erguemos

para comer nosso incômodo diário

em cada casa amamos a impermanência

que nos engoliu soberana ao final

sobramos sós destelhados de encanto

sitiados pela dor nossa morada

 

Ler em: GAZETA DE POESIA INÉDITA http://bit.ly/2F4Vb5v

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s